Sobrinho de líder da FDN João Branco é executado no Cidade de Deus

Francisco Adelandio Marques Carioca, conhecido como "Neném"

Francisco Adelandio Marques Carioca, conhecido como “Neném”, de 34 anos, foi morto a tiros na tarde desta segunda-feira (12). Ele é sobrinho do narcotraficante da Família do Norte (FDN), João Pinto Carioca, o “João Branco”, e – de acordo com a polícia – estava em um salão de beleza, localizado na rua Ouro, bairro Cidade de Deus, zona Norte de Manaus, quando foi abordado por dois homens armados.

De acordo com policiais, os dois homens chegaram em uma motocicleta, de características desconhecidas, e atiraram na vítima. “Neném” foi atingido por vários tiros, principalmente na região da cabeça. Ele teve morte instantânea, segundo o que apontou a perícia.

A imprensa foi impedida pela família de “Neném” de realizar a apuração do caso no local do crime. A equipe foi hostilizada e os parentes da vítima exigiram que a imprensa saísse do local. Para resguardar a segurança dos profissionais, fomos buscar mais informações com a equipe policial que investiga a execução. A polícia informou que ele, assim como outros familiares de João Branco, tem envolvimento com o tráfico de drogas na região. Ainda não há suspeita sobre a identificação dos atiradores, porém, os policiais acreditam que possa ter sido uma retaliação da facção rival.

O corpo de “Neném” foi levado para o Instituto Médico Legal (IML). O crime é investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Família do crime

Parte da família de “João Branco”, um dos maiores traficantes de drogas do Amazonas, é envolvida com o tráfico, orquestra execuções e lidera a FDN. Eles seguem ordens dos líderes da facção, que além do parente criminoso é coordenada por José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, e Gerson Carnaúba, o “Mano G”. Eles estão presos em presídios federais, mas ainda ditam regras ao comando atual da organização. A participação dos parentes do traficante foi divulgada em 2015, pela Polícia Federal, durante a realização da Operação La Muralla.

De acordo com um organograma divulgado pela PF, o irmão de João Branco, Manoel Ivani Pinto Carioca, e o sobrinho, Francisco Sidney Marques Carioca, participavam ativamente da facção criminosa.

Francisco Sidney, o “Neyzinho”, que é irmão de “Neném”, foi preso em março de 2015. Ele foi apontado como mandante do homicídio do auxiliar de pedreiro Márcio Borges de Freitas. O outro sobrinho de João Branco é Alexandro Félix Menezes, mais conhecido como “DD”, que foi preso em dezembro do ano passado quando estava reunido com outros dois traficantes.

Menor envolvido

Um terceiro sobrinho também foi flagrado pela polícia por envolvimento em crimes. O adolescente de 16 anos foi apreendido no Braga Mendes, com 14 trouxinhas de cocaína, porção de oxi, dinheiro e celulares.

Irmãos na liderança

Além de Manoel Ivani Pinto Carioca, o“Zica”, outro irmão do narcotraficante também já foi preso. Sebastião Pinto Carioca foi preso em 2014, no Santa Etelvina, com meio quilo de maconha e material para embalo de drogas. Já Manoel foi detido em 2016, depois de investigações feitas pela Polícia Civil e Polícia Federal.

Do EmTempo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here