Quadrilha liderada por prefeito é acusada de desviar R$ 60 milhões em verbas no AM

Dez pessoas foram presas, incluindo o prefeito de Tapauá, Zezito (PMDB). Segundo Ministério Públic, vereadores recebiam “mensalinho” para aprovar esquema.

Uma organização criminosa liderada pelo prefeito do município de Tapauá, Zezito (PMDB), é suspeita de desviar R$ 60 milhões de verbas públicas por meio de fraudes em licitações na cidade do interior do Amazonas. Até o momento, dez pessoas foram presas incluindo o prefeito, durante a Operação Tapauara, deflagrada na manhã desta terça (28) pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM).

O procurador-geral de justiça Fábio Monteiro, chefe do Ministério Público, informou que 99% dos vereadores do município recebiam “mensalinho” estimado em R$ 2 a R$ 3 mil para aprovar as atividades do prefeito. Entre os dez presos, seis foram capturados no próprio município de Tapauá e quatro em Manaus.

Coletiva de imprensa no MP-AM (Foto: Winnetou Almeida)

“Comprovamos durante as investigações que todos os vereadores, menos um, recebiam ‘mensalinho’. O prefeito e o presidente da Câmara interligavam as negociações entre parlamentares com o dono da empresa. Eles (vereadores) também receberam um bônus de R$ 5 mil. Fizemos imagens dos pagamentos que aconteciam em Manaus. Eles estavam preparados, porque mudavam de carros e locais”, explicou o procurador-geral. Segundo Monteiro.

O procurador-geral também contou, durante coletiva de imprensa na manhã de hoje, na operação controlada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), o empresário “Waltinho” foi filmado entregando propinas a um integrante da Câmara dos Vereadores, pedindo que este concordasse com medidas promovidas pelo prefeito.

“A empresa V.W. Comércio, Construções e Transportes LTDA era favorecida com as licitações. Representantes desta empresa também escolhiam outras instituições que ganhariam as outras licitações. Durante as investigações comprovamos que a empresa que ganhava não cumpria os trabalhos e recebia a verba de forma pontual”, ressaltou Fábio Monteiro.

O prefeito de Tapauá, Zezito (PMDB) (Foto: Arquivo A Crítica)

Um policial militar que comandava as ações de segurança no município também foi preso. “Esse desvio acontece há anos. Os que foram presos em Tapauá já estão em Manaus e serão ouvidos na tarde de hoje, depois serão encaminhados para unidades da Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária)”, disse.

Conforme a assessoria de imprensa do MP-AM, vários delitos foram praticados pela organização, dos quais se destacaram os crimes de ameaças, uso de “laranjas”, corrupção ativa e passiva, fraudes a procedimentos licitatórios, lavagem de dinheiro, abuso de autoridade, dentre diversos outros delitos gravíssimos, com fito de lograr a consumação e consequente obtenção e distribuição do proveito dos crimes entre eles.

Denúncia há dois meses

Conforme o procurador-geral, as investigações iniciaram após uma denúncia recebida dois meses atrás. “Já tínhamos informações tímidas sobre a corrupção que acontecia no município. Mas fomos procurados novamente com informações dessa organização criminosa que oferecia um favorecimento exclusivo para a empresa W. V. Construções e aprofundamos as investigações”, disse Fábio Monteiro.

Por Amanda Guimarães | AC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here