Polícia Civil diz que morte de cabeleireiro foi encomendada e já sabe a motivação do crime

A Polícia Civil   identificou quatro pessoas que estão envolvidas na morte do maquiador e cabeleireiro João Felipe de Oliveira Martins, 22, ocorrido há dez dias por volta das 15h45, em um salão de beleza localizado na rua Rio Tarauacá,

 bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul.  De acordo com as investigações, o crime foi encomendado e a polícia já tem a motivação do crime.

O delegado-geral adjunto, Ivo Martins, disse que são três executores e um mandante.   O alvo principal das investigações é o casal que entrou no salão. De acordo com Ivo  Martins, o atirador foi identificado, porém ainda não foi  localizado.  “O que sabemos é que ele mora na Zona Leste e já possui passagem pela polícia. É só isso que eu posso falar até o momento”, disse.  Ivo Martins disse ainda  que os trabalhos estão adiantados, mas que  revelar qualquer informação a mais pode atrapalhar as investigações. Conforme o delegado, o terceiro envolvido possivelmente auxiliou os criminosos na fuga. Ele estaria em um veículo dando apoio no fim da rua.

As investigações do crime estão sendo presididas pelo delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Juan Valério.

João Felipe foi morto enquanto trabalhava no salão. Ele foi atingido por tiros no rosto, efetuados por um homem, que chegou ao local acompanhado por uma mulher e se passando por cliente. O crime deixou os clientes e funcionários do salão apavorados.

O assassinato foi registrado pelas câmeras de segurança do estabelecimento. As imagens foram passadas à polícia, pelas quais foi possível identificar os assassinos.  No momento do crime a vítima estava sentada e mexia ao celular quando foi surpreendida por um homem bem vestido, que entrou correndo na área de atendimento do salão e disparou ao menos quatro tiros à queima-roupa.

Uma testemunha que estava dentro do salão na hora do homicídio afirmou que uma mulher chegou ao salão acompanhada do atirador, pouco antes das 16h, pedindo para fazer um alisamento com o cabeleireiro Felipe, que era considerado um dos mais badalados do salão.

Na hora que ela sentou na cadeira, para iniciar o procedimento, o rapaz que a acompanhava disparou contra o cabeleireiro.  Segundo as investigações, o casal chegou a uma motocicleta e teve apoio de um veículo não identificado para fugir.

Um mandante e três executores

A Polícia Civil já identificou o casal que chegou ao local atrás do cabeleireiro  João Felipe, uma terceira pessoa que deu apoio e o mandante do assassinato. O delegado-geral adjunto, Ivo Martins, afirmou que os trabalhos estão adiantados, mas que  revelar qualquer informação a mais pode atrapalhar as investigações.

Do Acritica

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here