Infraero abre licitação para terminais de carga em Manaus

Manaus – O processo de concessão dos três terminais de cargas do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes (Teca Manaus) vai começar na próxima segunda-feira, com a abertura do processo licitatório. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) vai privatizar a exploração do complexo por dez anos, com preço mínimo mensal de R$ 2,7 milhões e lance inicial de R$ 3 milhões.

Conforme o edital da autarquia federal, a concessão abrange uma área de 49,3 mil metros quadrados, incluindo os três terminais de carga, o prédio administrativo e a guarita de segurança.

A empresa vencedora também poderá explorar as atividades diretas de logística de carga, e atividades acessórias, como restaurante, centro de treinamento, áreas de reparo e limpeza de caminhões, bancos e terminais de autoatendimento, armazéns não alfandegados, entre outras, sendo que não há investimentos vinculados previstos em edital.

De acordo com a Infraero, a concessão da operação das atividades do Teca de Manaus representa uma oportunidade para a ampliação do portfólio de serviços de um dos maiores complexos logísticos da América Latina, seguindo as novas diretrizes da Diretoria Comercial e de Soluções Logísticas da Infraero. Segundo a autarquia, o propósito é, além de expandir o portfólio de serviços e produtos de logística integrada oferecidos pela empresa, ampliar a parceria com a iniciativa privada nos negócios.

“A ideia com a concessão do complexo de Manaus é, acima de tudo, aproveitar uma estrutura pujante e arrojada para oferecer serviços cada vez melhores para os clientes, aprimorando assim a cadeia logística da região e do País em um ritmo célere, alinhado com sua capacidade operacional e seu potencial econômico”, disse o superintendente de Desenvolvimento de Negócios em Soluções Logísticas da Infraero, Edson Antunes Nogueira.

Além de Manaus, cinco processos de concessões de complexos logísticos já foram realizados até o momento pela Infraero: Goiânia (GO), Curitiba (PR), Vitória (ES), São José dos Campos (SP) e Recife (PE). Os terminais de Goiânia e Curitiba foram os primeiros a iniciar as operações com a nova parceira, que assumiu a concessão no mês de julho. Os demais terminais já tiveram seus contratos assinados, agora passando pelos trâmites de transição das operações.

Terminal lidera em fluxo entre os complexos da autarquia

Após vender as concessões dos terminais de passageiros e cargas dos aeroportos de Viracopos, em São Paulo e Galeão, no Rio de Janeiro, o Teca Manaus passou a ser o maior terminal de cargas da Infraero, com a movimentação de mercadorias do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Somente no primeiro semestre de 2017, o complexo de cargas movimentou nas áreas de importação e exportação 15,4 mil toneladas (t), 3,6 mil t acima das 11.761,1 t processadas no primeiro semestre de 2016, um crescimento de de 31%.

Os principais itens movimentados nesse período foram componentes eletrônicos, produtos farmacêuticos, partes e peças de moto, metais e artigos de decoração. A ênfase em produtos de alto valor agregado na área de importação, além de demonstrar a importância e capacidade do terminal de carga, também chama a atenção para o potencial econômico do complexo.

O Teca Manaus possui infraestrutura que inclui um trans-elevador para o armazenamento de cargas verticalizadas de importação exclusivo para as empresas habilitadas no regime da Linha Azul e um sistema de pesagem de cargas de importação inteiramente automatizado, entre outros diferenciais de infraestrutura. O terminal tem capacidade máxima de movimentação de cerca de 960 mil toneladas anuais, tendo considerável margem de expansão operacional nas condições atuais.

Do d24

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here